quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Pedagoga Luciana Rodrigues fala da história da Igreja católica no município e na participação da familia Borges como fundadores históricos do município.


No momento em que comemoramos os 100 anos da 1ª missa do município de Lajes Pintadas, ocorrida em 04  de outubro de 1913, cabe- nos fazer um registro histórico, uma reflexão e um agradecimento. A origem remota aos cultos religiosos realizados na área do Riacho de Lajes Pintadas, onde se iniciou um povoamento, na propriedade  rural do agricultor João Francisco Borges – o qual tinha por costume promover cultos religiosos a São Francisco de Assis, louvando o santo que tinha vindo e Canindé estado do Ceará.
Mesmo após a morte do patriarca João Francisco, em 11 de Dezembro de 1985, os cultos religiosos tiveram continuidade e ressignificação, através do seu filho Eduardo Borges, a ponto de ter sido organizada e promovida e promovida a primeira missa da localidade, celebrada pelo Monsenhor Alfredo Pegado no alpendre da casa grande. Após vinte e dois anos de sua consolidação definitiva, o povoado ganhou a capela de São Francisco de Assis, seu padroeiro, sob a organização dos irmãos Eduardo Borges e Elias Borges, recebendo a bênção litúrgica em 1943.
Foi nessa ocasião, que o então vigário de Santa Cruz, padre Benjamim Sampaio, agraciou  comunidade doando uma imagem de São Francisco, vinda de Orago, Rio de Janeiro, consolidando definitivamente o santo como padroeiro da cidade, louvado e amado e que agora, por especial deferência, a nossa Câmara municipal de Lajes Pintadas aprovou Menção Honrosa à Família Borges, em reconhecimento a iniciativa do seu patriarca João Francisco Borges e aos seus descendentes, historicamente representados pelos filhos.
Portando, por toso esses motivos e razões, queremos nesse momento, em nome de toda a família Borges afetuosamente agradecer a câmara municipal da cidade de Lajes Pintadas pela demonstração do mérito e regozijo no reconhecimento e assim louvarmos ao nosso padroeiro São Francisco de Assis.