quarta-feira, 20 de março de 2013

MOVIMENTOS SOCIAIS DO TRAIRI CLAMA POR ÁGUA NAS RUAS DE SANTA CRUZ

No dia de São José, o FOCAMPO – Fórum do Campo Potiguar  das associações  esteve realizando na tarde de ontem na cidade de Santa Cruz o 1º “Grito pela Água da Região Trairi”, na  tarde da terça-feira (19), mais de 500 agricultores familiares de vários municípios da região do Trairi estiveram se deslocando de suas cidades para realizar uma manifestação em prol as condições favoráveis por água já que por sua vez, alguns destes municípios já decretaram estado de calamidade.
Várias lideranças sindicais dos municípios de Jaçanã, Campo Redondo, Santa Cruz, São José do Campestre, Tangará, Serra Caiada, Japi, São Bento do Trairi, Lajes Pintadas, Coronel Ezequiel, Serra de São Bento e Passa e Fica marcaram presença no evento, além dos dirigentes da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do RN (FETRAF-RN) e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do RN (FETARN).
A concentração foi realizada no Complexo Cultural Vila de Todos onde logo em seguida foi dado inicio a uma caminhada pelas ruas de Santa Cruz, com paradas em principais pontos da cidade, como no Banco do Nordeste, cobrando por mais ações efetivas do Banco e menos burocracia.
Mais minutos antes, da caminhada e ainda na concentração foi promovido o espaço dialogado entre participantes na defesa  pela afirmação da agricultura familiar campesina no Semi Árido Potiguar e pela solução rápida no abastecimento de água voltado ao interesse das autoridades municipais e estado numa aliança de solução.
Dentre as participações, estiveram falando o presidente da federação do estado (FETARN)  o Sr. Ambrósio Lins, e também o secretário estadual de juventude rural Erivan do Carmo, como ainda representantes do SEAPAC  e agricultores rurais na representatividade de base.
Entre a discursão repassada pelo dialogo o pároco Vicente da cidade local também esteve deixando o seu recado aos agricultores em geral, e as autoridades dizendo: Para conservarmos o nosso bem maior que é água, precisamos entender a falta que ela nos faz e passarmos a sermos consumidores lembrando sempre que no futuro iremos sempre precisar dela.
Já na fala da representante e  uma das idealizadoras do evento Marilene Moura pelo SEAPAC Rio Grande do Norte  a mesma apenas acrescentou em sua fala dizendo;
Seca não se combate. A perspectiva de solução para o semiárido está na convivência com a mesmo. Convivência que se constrói a partir da escola, da assistência técnica, do crédito e, no nosso caso específico, de construção de processos estruturantes definitivos. Neste sentido, conclamamos o Governo do Estado a construir uma política efetiva de estruturas partilhadas e descentralizadas de armazenamento de água, para que todas as famílias possam ter acesso. Portanto, o grande segredo da convivência é a prevenção. A lógica de armazenar a água de chuva nos períodos chuvosos para os períodos secos, a fenagem e a silagem para os animais, a difusão e implantação de um leque poderoso de tecnologias sociais que a sociedade e a Embrapa Semiárido/EMPARN já dominam, a educação contextualizada das comunidades rurais e urbanas para entender melhor a lógica da região na qual vivem, são as melhores soluções encontradas até hoje.

O  movimento teve seu encerramento na Praça da Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia onde novamente foram ouvidos e deixados em suas falas pelos agricultores e demais representantes como do trairi o grito de necessidade com a seca predominante e as causas devastadoras que estão enfrentando. De nosso município a presidenta do Sindicato rural  a Sra. Micarla Linhares também foi uma das pessoas que levou sua voz ao público dizendo quer:
Nossa meta é a união, e deixarmos claro que estamos sofrendo com a falta de água, mais deixando como proposta que cada autoridade deve fazer a sua parte na solução rápida no abastecimento para os municípios em parceria com o governo do estado.
Lajes Pintadas esteve sendo representada por agricultores rurais das localidades rurais de Saco de Dentro, Catolé, Caldeirão, Riacho Fechado, Barros Preto e Serra verde, do STTR estiveram ainda o secretário geral Seliton Rodrigues e o vereador José Antônio (deca de louro) representando a câmara municipal.